O Projeto


Projeto Amazônia Andes – 24 mil Km entre o céu, os rios e o mar

A expedição Amazônia Andes foi uma incrível experiência para produção do livro, que enfrentou as extremas condições dos biomas. Obra que conquistou títulos, editais e foi finalista do maior prêmio de livro do Brasil.

O projeto de fotografia Amazônia Andes  corresponde a um mapa mental mítico da América do Sul entre Brasil e o Peru milenar. Por sua própria natureza, me fez refletir profundamente na construção dessas imagens. Pensar em seu uso, objetivo, sua finalidade dentro de uma estratégia de ação, a mensagem que ela iria passar ou sensações que iria despertar nas pessoas. São incríveis revelações, que somente uma versão estendida do livro poderia revelar.
O Amazônia Andes começou como um sonho de um projeto de livro de fotografia e exposições. O livro aborda um tema muito desafiador, com picos acima dos 6.000/m  com -15 graus, para os contrastantes 40 graus positivos da floresta.
20151123_120609

Livro de fotografia Amazônia Andes
Um grande privilégio ter essa incrível missão como artista. No ofício da fotografia buscar as imagens que traduzem os dois maiores biomas da América do Sul. Procurei fazer de um ponto de vista atemporal, através das suas culturas milenares ali existentes. Percorri rotas e caminhos de extensões continentais.
Essas dimensões gigantes, são mesmo aspectos em comum entre Amazônia e os Andes: são formações jovens do ponto de vista geológico.  O  que lhes consolidam, duas regiões muito difíceis de trabalhar. E ambas regiões também escancaram em reproduzir o infinito, seja pela linha do horizonte da planície Amazônica, ou por tocarem os céus os enormes picos nevados andinos.
Mesmo eu tendo a familiaridade de ter nascido e crescido tomando banho nos igarapés da Amazônia, foi sem dúvida a mais difícil missão que já realizei. As expedições do projeto desde a foz do rio Amazonas com Atlântico do Brasil, na atual cidade de Belém, até o Pacífico em Lima no Peru, cruzando altíssimas cordilheiras, rios profundos e seus deltas, e estradas radicais, o que são fatores cruciais, e com certeza, um sonho para qualquer fotógrafo dessa modalidade “landscape”.
Mas logo que fomos para prática,  confesso que percebi que não seria uma tarefa simples. Cheguei a pensar, mais de uma vez, na minha capacidade e resistência de chegar até o fim. Exigiu um enorme planejamento e pesquisa das locações anteriormente a saída de campo. Sem esquecer obviamente, de que nunca devemos menosprezar a natureza. Principalmente em expedições pelas florestas e as montanhas dos Andes.
E para superar cada etapa do projeto, feito que só foi possível, porque juntamos um banco de dados desde o projeto até a produção do livro. Hoje é o banco de dados do projeto que estamos constantemente produzindo novos conteúdos,  publicando fotos, lançando quadros e exposições.
Com essa incrível experiência fotográfica, conseguimos com muita dedicação ,superar as longas jornadas e desafios naturais da expedição. Tivemos êxito na produção e pós produção, e nas técnicas de fotografia utilizada. Criei uma metodologia própria de produção, para a pesquisa de campo, a construção do mapa de locações para fotografar.
Formamos uma grande base e banco de dados indispensáveis para qualquer projeto. Muito importante para a continuidade do Amazônia Andes no formato atual. Mas principalmente de servir a outras pessoas e interagir com novos conteúdos.
O projeto inicialmente produziu uma lindíssima obra, um livro que alcançou grandes resultados em curto período de tempo. Conseguindo premiações, desdobramentos e conexões. Depois dessa primeira edição do livro, veio sua aprovação e crítica, vencendo editais nacionais e internacionais, conseguimos assim expor no Brasil e no exterior, distribuir o livro nas principais livrarias das capitais do país. São sem dúvidas informações muito importante de se observar.

O desafio era grande e não é uma tarefa nada simples para um livro de arte no Brasil. Demonstra um excelente planejamento e trabalho da equipe de produção. No ano seguinte ao lançamento do livro por exemplo, com a distribuição já organizada nas livrarias, não demorou muito e esgotou a primeira edição. Realmente isso seria mais uma ótima surpresa: confirmarmos que existe interesse das pessoas pelo tema, pela arte e as informações geradas.
Inspirado na paixão pela arte da fotografia, somado a uma ótima experiência com os ecossistemas, o projeto atual visa então revelar o que vai além de um livro impresso.  Assim como disponibilizar as técnicas de outras expedições que fiz na América do Sul. Aprendizado resultado de experiências vividas; no Cerrado do Planalto Central, na Mata Atlântica do litoral do Brasil, nas montanhas dos Andes, Patagônia, desertos e vulcões ativos do Chile e Bolívia.

 

2014 na Exposição Oficial da Copa do Mundo Curitiba
Podemos dizer que tanto o livro como o projeto são resultados de todas essas experiência acumuladas. Todos esses cenários em que tive o privilégio de trabalhar, são sagrados, e fizeram parte de minha formação. Servem de inspiração até hoje! Aprendi muito com as pessoas incríveis que encontrei pelos caminhos. Me ajudaram a praticar a arte da fotografia e o audiovisual em suas comunidades e recôncavos das florestas.
Criamos então essa continuidade do projeto, para conectar essas pessoas e comunidades e a outros talentos. São informações preciosas sobre nossas culturas.
De uma maneira geral ajudar a revelar esses caminhos e incentivar as pessoas criativas, artistas, produtores culturais. Para que se inspirarem nessas histórias. Todas essas formas de interação,  impulsionar novos conceitos e produções e criar novas soluções.
dsc_1700

Expedição para floresta na aldeia dos Ashaninkas, filme dirigido por Christiane Torloni para Globo Filmes.
Dos objetivos de conteúdos que o projeto visa compartilhar na WEB, se destacam:
1. as estratégias de produção,
2. expedições e lugares,
3. informações de como elaborar um projeto,
4. escolher temas para um projeto de arte,
5. divulgar campanhas de preservação e contra a biopirataria,
6. roteiros de lugares e guias para ir visitar a Amazônia e os Andes,
7. lançar novos aplicativo de fotos, filmes, entre outros criativos produtos.

Importante lembrar da urgente questão de preservação de nossos biomas, que estão ameaçados e sofrendo grande destruição. Precisamos nos sensibilizar através da arte e informações, e reconectar com a natureza. Ou para as pessoas  que  vivem nas grandes cidades, e nunca tiveram oportunidade de ir conhecer a floresta na Amazônia e as montanhas nos Andes. E que jamais irão a uma aldeia indígena, e no entanto, podem ajudar a torná-la conhecida e preservada. Veja link sobre desmatamento

Expedições como o Amazônia Andes, exigem muito da equipe, nos deixam esgotados. Ficamos submetido muito tempo em área de riscos, isoladas, longe de hospitais. São muitos locais inóspitos para dormir, comidas e temperos exóticos para digerir, e todas adversidades que a floresta oferece em abundância.
Superamos tudo isso devido as técnicas que aplicamos. Todo projeto, independente de sua área, precisa dessas informações para chegar ao topo. Informações que ajudarão a concorrer com outros grandes projetos de igual para igual. E aumentar as chances de vencer editais e premiações

 

1380542_613175945388534_196552727_n

Importantíssimo são as parcerias com excelentes profissionais de diversas áreas; como produção, planejamento, designer, redação e curadoria. Com todos esses fatores alinhados, depois de muito trabalho, produzimos um lindíssimo livro, e nasce mais uma obra de arte incrível realizada no Brasil. E também um aprendizado mega especial, que naturalmente veio com a implementação do projeto.
Buscamos a continuidade do projeto através de um espaço de encontro compartilhado, formato que desde o início estava em seu DNA. Resumidamente, escrevi o projeto em 2012, em 2013 ele foi produzido e lançado em Manaus-AM e a bienal de Foto de Lima-Peru. Em 2014 foi finalista do prêmio Jabuti e ganhou edital nacional de exposições da Copa do Mundo em Curitiba. Em 2015 participou da Bienal de São Paulo e ganhou edital internacional para Guadalajara no México.

linha_do_tempo_amaz_andes

Gráfico da história da obra Amazônia Andes
Nesse mesmo ano saiu sua versão em filme, curta metragem foi selecionado em CANNES. Vale destacar a parceria com o maestro para a impecável trilha sonora do filme, Sr. Jean Jack Lemetre do teatro de Soleil de Paris. Em 2 anos a obra obteve muitos êxitos e ótimos desdobramentos. Recentemente está em testes um aplicativo gratuito de fotos wallpaper para celulares Android.
Criamos essa plataforma para encontrar as pessoas interessadas nessa causa, para conhecerem mais a natureza, e desfrutar da arte fotográfica. Utilizar tecnologia a favor de nossos ecossistemas, sejam pelo entretenimento ou pelas vias culturais, artístico e educacional.
Conheça mais meu trabalho como fotógrafo no meu site profissional.
www.josetezza.com
Sonhe este sonho junto comigo e continue a luta por mais cultura, preservação e disseminação da arte brasileira para brasileiros e o mundo!
Assine abaixo e receba gratuitamente diversos materiais, ajudando assim a tornar conhecido os biomas e esse lindo projeto sustentável:

Cadastre-se e ganhe 10 fotos papel de parede!

 

 

 

 

4 thoughts on “O Projeto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *